sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Entrando em contato com o trauma do nascimento

Passei por um momento muito intenso da minha vida dias atrás, tão profundo, que não sei se vou conseguir reproduzir em palavras. Mas pensando que muitas outras gestantes podem passar por algo parecido, quero muito compartilhar.
Fiquei durante o meu oitavo mês de gestação com muuuitas dores na nuca, eram tão fortes que tomava tylenol de 6 em 6 horas, e mesmo assim a dor não dava trégua, fiz acupuntura, massagens, tomei remédio homeopático, fiz compressa quente, e nada resolvia, tinha momentos que eu me desesperava pensando que a dor nunca mais iria embora, que atrapalharia o meu trabalho de parto, e que ia dar tudo errado.

Além da dor, um sentimento de melancolia me envolvia, e eu não conseguia identificá-lo, chorava e me sentia sozinha mesmo próxima dos meus familiares mais queridos.
Assim as semanas foram passando, e na ultima semana do oitavo mês, mais precisamente com 36 semanas de gestação, eu li um texto que me levou a conversar com minha mãe sobre como ela se sentiu no dia do meu nascimento, este texto dizia que a gestante no final da gravidez, ou no trabalho de parto, pode retroceder, e entrar em contato com os sentimentos inconscientes que a envolveram no momento de seu nascimento.

Pois bem, minha mãe relatou que no dia do meu nascimento se sentiu muito triste, teve que ficar em uma sala de pré-parto durante uma noite inteira, sem a companhia do meu pai, ou de algum ente querido, se sentiu abandonada, angustiada, rejeitada, solitária, magoada com meu pai, que não ficou no hospital durante aquela noite, pois tinha que ajudar a cuidar do meu irmão, voltando ao hospital só no dia seguinte de manhã, ainda antes do meu nascimento.

Cada sentimento que ela descreveu que sentiu naquela noite, era exatamente o que eu estava sentindo, aparentemente sem motivo algum, chorei muito, como não chorava a muuuito tempo, minha dor na nuca naquele momento estava extremante forte, não conseguia conversar, só ouvia aquela história, e chorava sem parar, quanta tristeza!

Mas apesar do relato triste, ela foi me dizendo que aquele bebê não estava sozinho, que meu pai não tinha culpa por não estar lá naquela noite, que eu fui amada e querida por eles, dizia pra eu me libertar daquele sentimento, que hoje o momento era outro, e que eu não estava sozinha.

A conversa não foi muito longa, e depois de muitas lagrimas, e dor na nuca, resolvi ir dormir, não sei o que aconteceu naquela noite, mas algo mudou. Acordei na manhã seguinte para ir para trabalho estranhamente aliviada, tomei algumas gotas de dipirona, e nunca mais senti a tal dor na nuca.

Olhei para o meu pai naquela manhã com carinho, como se eu realmente tivesse compreendido que ele fez o melhor que sabia, que não me deixou sozinha, e que inclusive, por sabedoria da vida, estava naquele momento do meu lado, me servindo sem pedir nada em troca.



“Para mudar o mundo, é preciso mudar a forma de nascer.” Michel Odent, 1981.

3 comentários:

  1. Oi Filhota linda!!!
    Sabe!!! você é um lado meu,uma faceta muito linda e boa, não por ser minha filha ou por fazer muitas coisa delicadas e ser atenciosa e outros inúmeras qualidades ...Você sempre me pergunta se eu fosse diferente vc continuaria me amando?... Bom com certeza eu ficaria brava quando vc disse-se alguma coisa que não gostaria de ouvir, bicuda por um tempo...mas te amaria mais ainda , por ter a certeza de que vc estaria livre pra ser você mesma e isso é mais importante do que tudo...Desejo que você possa a cada dia de sua vida aprender com o Pedro a ser melhor e possa estimula-lo a ser ele mesmo.
    E quando perguntarmos pra ele o que ele quer ser quando for bem Grandão? Ele possa responder "EU" - Meus Pais me estimularam a construir minha autonomia.
    Beijão em vcs Te amo de montão

    ResponderExcluir
  2. Mãaaae!!! Que lindo!! Tbm te amo muito... Vamos aprender muito com o Pedro, tenho certeza!!!! Conto com sua ajuda!
    bjão!!!

    ResponderExcluir
  3. Fla Franceschetti6 de agosto de 2010 15:20

    Re, me emocionei com seu post.. mto lindo e profundo!! Parabens por conseguir compartilhar!!

    ResponderExcluir